O álbum novo da Beyoncé se chama “limonada”; saiba o motivo


Mais uma da Beyoncé!


Para a grande surpresa dos fãs, a cantora lançou seu álbum novo no Tidal na noite de sábado (23/4), logo após a exibição de um filme com as músicas na HBO americana. O projeto que já está ganhando a rede, se chama “Lemonade” (limonada, em português) e muitos estão se perguntando: que título é esse? Porém, existe uma justificativa.

Desde o single “Formation”, a popstar vem tratando do tema da discriminação racial e da violência histórica sofrida por afro-americanos. Em “Lemonade”, ela aprofunda essa pesquisa, como pôde ser visto no especial do canal pago HBO, com mais desdobramentos do tema. É aí que entra a “limonada” – uma crítica e um posicionamento da estrela.

Uma pesquisa na Internet mostra que vários sites de beleza – note bem: sites voltados para estética – indicam limão como artifício de CLAREAMENTO DA PELE. No entanto, esses veículos partem do princípio que a pele clara é o padrão de beleza, o que reforça estigmas e discrimina os negros. Quer mais? Dermatologistas dizem, inclusive, que passar limão (a casca, em spray, ou o líquido – limonada) na pele pode trazer manchas e irritar a pele. Ou seja, pessoas de pele escura podem acabar se submetendo a um tratamento caseiro abusivo por conta de um padrão que merecia ser contestado e não reforçado.

Quando Beyoncé traz o “Lemonade” para o título, junto com o conteúdo do seu projeto novo, fica claro que ela está fazendo uma crítica ao “brancocentrismo” racista. É uma posição de empoderamento negro, black power. É esse padrão centrista – que coloca toda a etnia negra em posição de inferioridade – que leva, por exemplo, a comportamentos injustos de policiais com jovens negros inocentes nos Estados Unidos. Há quem fale, a nível global (e no Brasil também, de genocídio). O racismo é percebido claramente quando negros são considerados suspeitos e levantam desconfiança simplesmente por estarem andando na rua. No filme “Lemonade”, Beyoncé colocou pais de jovens negros assassinados nos Estados Unidos por absolutamente nada e deu espaço para o movimento “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam).

Vale lembrar que Beyoncé co-escreveu e produziu todas as faixas do disco.

3. DON’T HURT YOURSELF (FEAT. JACK WHITE)
WRITTEN BY JACK WHITE, BEYONCÉ, DIANA “WYNTER” GORDON, JAMES PAGE, ROBERT PLANT, JOHN PAUL JONES, JOHN BONHAM / PRODUCED BY JACK WHITE AND BEYONCÉ

4. SORRY
WRITTEN BY DIANA “WYNTER” GORDON, SEAN RHODEN P/K/A MELO-X, BEYONCÉ / PRODUCED BY MELO-X, BEYONCÉ AND WYNTER GORDON

5. 6 INCH (FEAT. THE WEEKND)
WRITTEN BY ABEL “THE WEEKND” TESFAYE, BEYONCÉ, DANNY SCHOFIELD, BEN DIEHL, TERIUS “THE-DREAM” NASH, AHMAD “BELLY” BALSHE, BOOTS, DAVE PORTNER, NOAH LENNOX, BRIAN WEITZ, BURT BACHARACH, HAL DAVID / PRODUCED BY DANNYBOYSTYLES, BEN BILLIONS, BEYONCÉ AND BOOTS

6. DADDY LESSONS
WRITTEN BY DIANA “WYNTER” GORDON, BEYONCÉ, KEVIN COSSUM, ALEX DELICATA / PRODUCED BY BEYONCÉ

7. LOVE DROUGHT
WRITTEN BY MIKE DEAN, INGRID BURLEY, BEYONCÉ / PRODUCED BY MIKE DEAN #MWA FOR DEAN’S LIST PRODUCTIONS AND BEYONCÉ

8. SANDCASTLES
WRITTEN BY VINCENT BERRY II, BEYONCÉ, MALIK YUSEF, MIDIAN MATHERS / PRODUCED BY BEYONCÉ AND VINCENT BERRY II

9. FORWARD (FEAT. JAMES BLAKE)
WRITTEN BY JAMES BLAKE AND BEYONCÉ / PRODUCED BY JAMES BLAKE AND BEYONCÉ

10. FREEDOM (FEAT. KENDRICK LAMAR)
WRITTEN BY JONATHAN COFFER, BEYONCÉ, CARLA WILLIAMS, DEAN MCINTOSH, KENDRICK DUCKWORTH, FRANK TIRADO, ALAN LOMAX, JOHN LOMAX SR. / PRODUCED BY JONNY COFFER, BEYONCÉ AND JUST BLAZE

11. ALL NIGHT
WRITTEN BY THOMAS WESLEY PENTZ, BEYONCÉ, TIMOTHY AND THERON THOMAS, ILSEY JUBER, AKIL KING, JARAMYE DANIELS, ANDRE BENJAMIN, PATRICK BROWN, ANTWAN PATTON / PRODUCED BY DIPLO AND BEYONCÉ

12. FORMATION
WRITTEN BY MICHAEL L. WILLIAMS II, KHALIF BROWN, ASHETON HOGAN, BEYONCÉ / PRODUCED BY MIKE WILL MADE-IT AND BEYONCÉ

Comentários

AS MAIS LIDAS DO DROPS