Estudo lista Justin Bieber e Eminem como preferidos dos que sofrem com desordem psicológica; encontro reuniu trinta mil pessoas


Eita!


Vem aqui, que a gente te conta tudo! Em famosos filmes que contam histórias de personagens psicopatas, a trilha sonora costuma ser composta por música clássica, certo? Pois é. Beethoven toca em Laranja Mecânica, Mozart em O Silêncio dos Inocentes. Por isso, o professor de Psicologia da Universidade de Nova York, Pascal Wallisch, e a recém-graduada Nicole Leal, quiseram estudar a correlação entre a preferência por um gênero musical específico e a psicopatia, desordem de personalidade caracterizada por manipulação e falta de empatia. As informações no entanto, são do Washington Post.

Na ocasião, os pesquisadores entregaram um questionário para mais de 190 estudantes de Psicologia da Universidade de Nova York para medir seus níveis de psicopatia, com afirmações como “para mim, se eu conseguir me safar, é certo” e “o amor é superestimado”.

Os estudantes escutaram faixas de diferentes gêneros, de música clássica aos mais recentes hits do ranking Billboard Hot 100 e as avaliaram. A maioria delas não eram familiares para os participantes. Wallisch e Nicole procuraram ligações entre as preferências por certas músicas e as pontuações dos estudantes na escala de psicopatia.


Segura essa! Entre as músicas com maior correlação com a psicopatia estão “Lose Yourself”, de Eminem, “No Diggity”, do Blackstreet e “What Do You Mean”, de Justin Bieber. As que menos pontuaram foram “Money For Nothing”, do Dire Straits, a faixa country “Wayward Wind” e “My Sharona”, hit de 1979 do The Knack.

Apesar de não terem publicado o estudo ainda, os resultados foram apresentados em um encontro de Neurociência em Washington, para mais de 30 mil pessoas.






Comentários

AS MAIS LIDAS DO DROPS