Mariah Carey é processada após cancelar shows na América do Sul



Xi, deu ruim!


A diva pop Mariah Carey está sendo processada pela empresa responsável pelos seus shows na América do Sul, que afirma que a cantora não tinha direito de “cancelar unilateralmente” duas apresentações. Tenso, né? Mas o processo já foi registrado na quarta-feira (17) em uma corte federal na Califórnia.

Em outro episódio, mais precisamente em janeiro do ano passado, Mariah Carey precisou processar a FEG Entretenimientos por quebra de contrato, afirmando que cancelou shows na Argentina e no Chile em outubro de 2016 porque o promoter não pagou o valor total adiantado, como havia sido combinado.

Além de responder aos questionamentos da equipe da cantora e fazer a sua defesa, a FEG fez questão de entrar com um pedido reconvencional contra a Mariah e sua empresa, Mirage Entertainment, por quebra de contato e difamação.

A briga foi longe! A FEG, também conhecida como Fenix, afirmou que existe na verdade uma longa história trabalhando com artistas e que, apesar de nem sempre aderir à programação dos pagamentos, sempre paga o valor inteiro pelas performances.

Segundo o processo, o contrato para os dois shows estava datado para 21 de junho de 2016, mas não foram executados e entregues até o fim de setembro. A Fenix por sua vez, também afirma que não havia nada escrito no contrato que indicasse o tempo para cumprimento do combinado e que haveria cancelamento.

A cantora Mariah Carey no entanto, iria se apresentar no dia 28 de outubro, na Argentina e 30 de outubro, no Chile, mas em 25 de outubro ela ainda não havia recebido boa parte do pagamento por ambos os shows e, por isso, a diva pop cancelou as apresentações. A Fenix afirmou então que havia pagado cerca de 75% do valor até a data em questão e que ficou sabendo sobre os cancelamentos por meio da imprensa. Oi? Como assim? Ainda no processo, a empresa diz que pediu a Mariah para dar 48 horas para que qualquer problema com as obrigações do contrato fosse resolvido antes de um cancelamento.

“O cancelamento unilateral das apresentações de Mariah na Argentina e no Chile – três dias antes da apresentação na Argentina e menos de uma semana antes do show no Chile – constitui quebra em suas obrigações no contrato de turnê”, argumentou o advogado Robert Allen.

A empresa, também reivindica que Mariah fez comentários falsos e difamatórios no Twitter, sugerindo que o cancelamento aconteceu por negligência da produção, fazendo com que os clientes duvidassem de sua capacidade de pagar os artistas.

Sendo assim, diante de tudo isso e todos os fatos, a Fenix está pedindo US$ 1 milhão em danos pelos shows cancelados e mais US$ 2 milhões por danos por difamação.

E agora, Mariah? Vale lembrar que Mariah Carey está preparando o seu novo disco. 

Comentários

VIDEOCLIPES EM DESTAQUE

BAÚ DO DROPS

DROPS MUSIC NO FACEBOOK

SIGA O DROPS NO SPOTIFY!

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

AS MAIS LIDAS DO DROPS